Pular para o conteúdo principal

Judiciário de Cubatão é pressionado a posicionar-se diante de falta de estrutura nas escolas públicas

Foto: Ailton Martins
Mães de estudantes da rede pública de ensino de Cubatão realizaram nesta quinta-feira (04/05) uma manifestação na cidade para denunciar a falta de estrutura nas escolas. De acordo com elas, a educação pública está abandonada há muito tempo no município, desde o governo de Márcia Rosa (PT), no entanto, a situação atingiu o limite suportável. Portanto, é preciso que o poder público assuma sua responsabilidade com urgência, pois até o momento mesmo com todas as denúncias realizadas e reuniões com o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) e com o presidente do legislativo Rodrigo Alemão (PSDB), nada foi resolvido, na realidade, a situação tem piorado, com isso, de modo organizado as mães decidiram ir até o Poder Judiciário e cobrar uma posição.

Foto: Ailton Martins
Cerca de mil pessoas entre mães organizadas de diversas escolas de Cubatão juntamente com professores e servidores em greve caminharam pela Avenida Nove de Abril denunciando por meio de palavras de ordem a situação caótica que encontra-se a educação do município. Durante o trajeto passaram pelo Conselho Tutelar onde exigiram uma posição e cobraram que o Conselho denuncie ao Ministério Público a situação de violação de direitos das crianças e adolescentes, exigiram também a presença de uma conselheira tutelar para que as acompanhasse no ato. 

Foto: Ailton Martins
De lá foram para o Fórum, onde não foram permitidas de entrar, seguiram para o Ministério Público, por fim, após muita pressão, conquistaram uma reunião com a Justiça. Foram recebidas por um juiz e um promotor de Defesa da Infância e da Juventude.

Foto: Ailton Martins
Após cerca de uma hora de reunião o grupo de mães que participou da conversa informou que durante a reunião o juiz e o promotor que as atendeu colocaram que não cabe a Justiça interferir nas medidas tomadas pelo poder executivo em relação a reforma administrativa, todavia, prontificou-se a marcar uma reunião para a próxima semana com a prefeitura para discutirem o assunto da falta de estrutura nas escolas, colocaram também que as 540 funcionárias da CURSAN, empresa prestadora de serviço que teve o contrato reincidido pela prefeitura, todas serão remanejadas para a outra empresa que assumirá o serviço, por conseguinte, a limpeza nas escolas irá normalizar.

Foto: Ailton Martins
O grupo de mães também denunciou a falta de segurança nas escolas, falta de material pedagógico, falta de merenda escolar e péssimas condições dos equipamentos.

Divulgação: 

Site de trabalhos fotográficos neste link. Contatos para parcerias e trabalhos vídeo/fotojornalismo. Fortaleça a mídia independente com foco em direitos sociais. Apoie as reportagem, dê sugestão, mande whatsapp: 13 988 656229

Logo abaixo vídeos de como foi toda a movimentação e as denúncias.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Polícia Militar sem justificativa reprime peça de teatro e prende ator na cidade de Santos.

De acordo com informações postadas por diversos artistas da Baixada Santista entre outras pessoas na rede social facebook, uma peça de teatro que estava sendo realizada em praça pública (Praça dos Andradas) na cidade de Santos foi impedida de continuar a apresentação após uma operação da Polícia Militar que cerceou a apresentação e prendeu um dos atores da peça, apreendendo também todos os materiais utilizados na peça. 
Informações postadas na rede por várias outras pessoas informam que não houve nenhum tipo de justificativa da Polícia Militar, inclusive, ocorreu agressão e o ator foi atirado dentro da viatura e levado para o 1° DP de Santos. Pessoas que assistiam a peça também foram intimidadas pelos policiais que estavam todos armados como numa operação de guerra. Num dos vídeos postados é possível ver a agressividade de alguns policiais em suas falas que colocam que não era para ninguém filmar ou fotografar a ação.
Neste momento de acordo com as últimas informações estão todos os …

São Vicente: Edital para compra de carro de R$ 85.527,14 para o presidente do legislativo

A Câmara Legislativa de São Vicente lançou um edital para compra de um carro para o vereador Wilson Cardoso (PSB), presidente da Câmara, determinando um valor máximo de R$ 85.527,14. O edital está disposto no site da Câmara, e o pregão está previsto para o inicio de abril.
O que causa desconforto neste edital, certo que este carro será patrimônio público, e não de uso pessoal, (quero acreditar) é o fato que, diante de uma crise financeira que atravessa o município, onde os professores estão há dois anos sem correção de salário, creches foram fechadas, auxiliares de creche ainda estão sem receber, cerca de duzentas profissionais de educação especial não tiveram atribuição liberada, dentre centenas de outros problemas que atravessa o município, este edital, com certeza, é mais um absurdo colocado pelo legislativo, o anterior foi a criação de cargos de assessores com vencimentos de R$ 9.027,69, e que somente foi suspenso, não revogado, devido pressão popular, e também devido a enorme v…

Em plena crise, Câmara de São Vicente aprova lei para 15 cargos comissionados com vencimentos de R$ 9.027,69

De Rede Sustentabilidade São Vicente
Em plena Crise, Câmara aprova "Lei da Vergonha Alheia" sem comunicar os cidadãos. Em duas votações, sem divulgar esse projeto para pleno conhecimento da sociedade, os vereadores alteraram a composição da Câmara e aumentaram 15 cargos comissionados na casa - um para cada um - com um salário de R$ 9.027,69. 
Ponto a se destacar é que o cargo prevê apenas formação de Nível Médio com um salário muito acima do valor de mercado para essa formação. Vantajoso, hein? Sabe quanto vai custar, anualmente, aos cofres essa mudança? 
APROXIMADOS R$ 2 MILHÕES DE REAIS! 
Se esse grupo político que governa a cidade aprovou "Estado de Calamidade Financeira", como é que eles mesmos aprovam essa bizarrice financeira? Sabe qual é o nome dessa lei? Lei da Vergonha Alheia! Tanta vergonha que esconderam o projeto da sociedade, aprovaram de forma protocolar! 
Não passarão! Expliquem, senhores, para os servidores​ sem reajuste, professores​ sem estrutur…