Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2017

Ambulantes do centro de São Vicente geram de impostos cerca de R$ 120.000,00 por ano, mas a prefeitura pretende removê-los

No início deste ano, a prefeitura de São Vicente por meio de sua Secretaria de Comércio deflagrou uma forte fiscalização sobre o trabalho informal na cidade, de modo que todos os trabalhadores informais (sem licença) foram praticamente banidos do município, isso, mesmo diante de uma crise econômica com taxa de aumento de desemprego na cidade. Essa intifada fiscalizatória reverberou no legislativo que foi obrigado a posicionar-se devido as reivindicações de trabalhadores (ambulantes) informais organizados do centro que, mesmo tendo a licença regulatória para trabalhar, começaram a serem obrigados a cumprir uma lei com "pontos cegos". 
Prontamente, parte do legislativo colocou-se à disposição para intermediar tal questão, mas, após cinco meses, além de reuniões, o legislativo nada produziu em prol dos trabalhadores. Com isso, parte dos trabalhadores licenciados decidiram entrar na justiça para lutar pelo direito básico e constitucional: trabalhar.


Uma das imposições colocadas…

II Encontro Nacional de Mães e Familiares de Vitimas da Violência do Estado

Nos dias 19 e 20 deste mês de maio aconteceu na cidade do Rio de Janeiro o II Encontro Nacional de Mães e Familiares de Vitimas da Violência do Estado. O encontro reuniu cerca de cento e cinquenta pessoas entre organizações sociais que lutam por direitos humanos, mães e familiares - de vários estados - que perderam seus filhos brutalmente devido a violência promovida pela Polícia Militar. O objetivo do encontro além de fortalecimento dos movimentos na luta, foi também para denunciar o processo de genocídio do povo preto que vem ocorrendo no país inteiro, de modo a reivindicar por justiça. De acordo com Débora Silva Maria, coordenadora do movimento social Mães de Maio, é preciso exigir que a Justiça cumpra seu papel de fato, puna os policiais e crie mecanismos de reparação para as famílias, pois a perda de um ente querido de forma brutal é um impacto que também atinge a família, "a caneta assassina do judiciário também tem matado as mães, quando arquiva processos, absolve ou não …

As desigualdades sociais em Santos

De Rafael Moreira
Na contramão do que tem ocorrido no Brasil e no Estado de São Paulo, as desigualdades sociais na cidade de Santos só tem crescido. O gráfico acima apresenta o índice de Gini¹  da renda domiciliar per capita, que é um indicador utilizado para medir a concentração da distribuição de renda (ou em outras palavras, das desigualdades sociais) em um determinado local. Quanto mais próximo de 1 o indicador, mais desigualdade existe.

Os dados mostram que no período de 2000 à 2010 o nosso país e o nosso estado entraram em uma trajetória descendente, demonstrando que as políticas públicas de redistribuição de renda (tanto no país quanto no Estado) vinham cumprindo seu papel em reduzir as desigualdades sociais. Porém, em Santos tem sido bem diferente.

Os governos desde os anos 1990 tem ido na contramão dessa história. Nossa cidade cada vez mais se torna desigual e elitista, o que se reflete no nosso cotidiano. O custo de vida para morar em Santos é cada vez mais alto, e cada vez …

Servidores de São Vicente não terão reposição salarial em 2017. Concluiu a prefeitura em Audiência Pública.

Em Audiência Pública de prestação de contas aos servidores públicos realizada nesta quarta-feira (17) na Câmara Legislativa, a secretária da Fazenda, Miriam Cajazeira, disse que todos os esforços do governo de Pedro Gouvêa estão voltados para o pagamento da folha do funcionalismo público, e que o prefeito gostaria sim, de poder avançar e oferecer reposição salarial para os servidores, mas seria irresponsável, além de inviável porque as contas do município estão no "vermelho" e está sendo dificil organizar a máquina na velocidade desejada, portanto, os servidores precisam compreender esses esforços e terem paciência.


A audiência foi realizada no Plenarinho da Câmara e não no espaço onde ocorre normalmente as Sessões Legislativas, o que gerou certo desconforto dos participantes, pois o espaço não comportava a quantidade de servidores que compareceram, além de que, as perguntas feitas para a mesa precisava ser escrita num papel e um mediador da prefeitura efetuava a leitura da…

Reunião na Associação Comercial de São Vicente para decidir a situação dos ambulantes

Acontece nesta terça-feira (16/05) na Associação Comercial de São Vicente uma reunião entre os ambulantes legalizados que trabalham no centro da cidade e a Secretaria de Comércio. O objetivo desta reunião de acordo com o comunicado entregue por escrito aos ambulantes é definir a padronização do serviço prestado. Segundo alguns ambulantes essa reunião é mais uma conversa dentre outras que foram realizadas entre vereadores, secretaria e ambulantes e nenhuma definição é alcançada devido a intransigência da secretaria que simplesmente impõe as condições sem os consultá-los. 
Histórico 
Desde o início deste ano com a mudança de governo que os ambulantes estão vivenciando uma situação de inconstância em relação a garantia de trabalho, apesar de pagarem impostos. Inicialmente foram obrigados a trocar o toldo dos carrinhos por um de cor vermelha, na sequência foram obrigados a "ambular", ou seja, movimentar-se de um local para outro de hora em hora, caso não, sofreriam as penalidade…

"Eu Sou Periferia" literatura marginal nas quebradas de SV

Matéria de Guilherme Junior - Post de origem Discordância Construtiva

A realidade de periferia sempre esteve presente na vida de Michel Leite Viana, morador da Área Continental, região afastada cerca de 12 km do centro de São Vicente, SP. Transporte lotado e de baixa qualidade, escolas precarizadas, ruas de terra e lama, falta de perspectivas, proximidade com o tráfico e o crime organizado… Mesmo com todos esses entraves e dificuldades, Michel se formou em Educação Física e se tornou professor. Foi com essa vivência que, em 2015, ele lançou o livro “Eu sou periferia”, pela Editora Instituto Caio Prado Jr. (ICP). Lançado de forma independente, o livro é um retrato das vivências e da percepção de Michel sobre a realidade de sua região. 
A resenha do livro, publicada no blog Princesas Literárias, pode ser encontrada neste link. Mesmo não sendo uma história real, o texto tem total ligação com a realidade de milhares de jovens que vivem nas periferias Brasil afora, sobretudo os que se id…

40 anos de Associação Atlética Parque das Bandeiras: Um espaço em disputa

Associação Esportiva Atlética Parque das Bandeiras localizada na área continental de São Vicente cujo histórico remonta 40 anos de pessoas apaixonadas por futebol que na década de 1970 utilizaram um espaço da FEPASA para construir um campo de futebol, hoje, aguarda a liberação de continuidade de concessão de espaço público que será deliberado ou não pelo legislativo vicentino.

40 anos...

Durante esses 40 anos o que era apenas um grupo de amigos montando um time de várzea, terminou por tornar-se um espaço esportivo, cultural e social de importância ímpar para o bairro Parque das Bandeiras e para a cidade de São Vicente. Atualmente, constituído como Associação Esportiva devido as exigências legalistas do Estado seguem tocando o projeto de escolinha de futebol intitulado "Pedala Muleke"; e vale dizer que, conquistaram três editais para desenvolvimento de trabalhos esportivos do Governo do Estado de São Paulo, no entanto, devido a crise econômica não conseguiram aporte de nenhum…

Judiciário de Cubatão é pressionado a posicionar-se diante de falta de estrutura nas escolas públicas

Mães de estudantes da rede pública de ensino de Cubatão realizaram nesta quinta-feira (04/05) uma manifestação na cidade para denunciar a falta de estrutura nas escolas. De acordo com elas, a educação pública está abandonada há muito tempo no município, desde o governo de Márcia Rosa (PT), no entanto, a situação atingiu o limite suportável. Portanto, é preciso que o poder público assuma sua responsabilidade com urgência, pois até o momento mesmo com todas as denúncias realizadas e reuniões com o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) e com o presidente do legislativo Rodrigo Alemão (PSDB), nada foi resolvido, na realidade, a situação tem piorado, com isso, de modo organizado as mães decidiram ir até o Poder Judiciário e cobrar uma posição.
Cerca de mil pessoas entre mães organizadas de diversas escolas de Cubatão juntamente com professores e servidores em greve caminharam pela Avenida Nove de Abril denunciando por meio de palavras de ordem a situação caótica que encontra-se a educação do …