Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2015

Paranoia

Eu vivo essa paranoia 
Porque o mundo é louco
Sádico e suficientemente estéril e mentiroso

Eu vivo essa paranoia
Porque as pessoas representam papéis o tempo todo
Inclusive eu e meu corpo mesquinho de desejos

Um corpo
Que apodrece em cada segundo
Em cada copo, em cada poesia que vomito 

Eu vivo essa paranoia 
Para fugir das covas, dos lodos, dos calabouços
e das chagas que carrego comigo

Eu vivo essa paranoia 
Porque descobri que cada buraco de rato que me enfio
É igual a qualquer outro que nunca vou entrar

(Inadaptável, por isso me embriago nas sextas-feiras)

Eu vivo essa paranoia
Porque essa é a única maneira que encontrei
Para me libertar das correntes de uma vida inteira

Polícia Militar apreende bicicletas de jovens em São Vicente com delito de abuso de autoridade

Mais uma vez a lei é usada para oprimir a população de periferia, dessa vez em São Vicente. Viaturas da Polícia Militar abordaram um grupo de jovens que estavam em uma calçada da rua Eduardo Dias Coelho, na Cidade Náutica. Após fazer a vistoria de documentos e perceber que não portavam drogas ilícitas, os policiais se utilizaram da lei municipal 225A, complementada pelo decreto 463-*A, para apreender as bicicletas dos jovens. A alegação foi que estavam trafegando na calçada e não portavam equipamentos obrigatórios. Para retirar as suas bicicletas, terão que pagar, cada um, uma multa de R$ 53,00.
Segundo informações, os jovens comemoravam o aniversário de um amigo, quando foi feita a abordagem em uma praça ao lado da maré. Cerca de 12 jovens, todos homens e a maioria negros, foram revistados e tiveram seus documentos revisados. No entanto, além da revista, os policiais apreenderam as bicicletas. Ao questionar a atitude dos policiais, as justificativas foram as mais absurdas: bicicleta n…

Somos erva daninha

Nossa poesia nasce livre de correntes
Mesmo já tendo conhecido o açoite
Nossa poesia é igual mato rasteiro
Espalha-se por aí como praga, como chaga

E para às vezes, é a própria erva daninha
Resistindo aos jardins suspensos que nos foram cerceados

E são em folhas de papel e em muros (pichados) nas paredes das cidades
Que cultivamos e semeamos o inconformismo
Enfrentando o inverno e o verão

O trabalho precário
A geral da polícia
A falta de moradia
A saúde fudida
A educação esquecida

Dentre outras coisas que mal posso enumerar

Mas... Tomo a liberdade de afirmar:

Nossa poesia é nossa casamata
Nosso Quilombo do Jabaquara
Nossa Canudos
Nosso maracatu
Nossa Maria Bonita
Nossa coletividade

Abrigo e lança
Semeando e mostrando paro mundo
Que do lado de cá
Não é o capitão (do mato) e nem o Sr. da Casa Grande (governo) que vai mandar
Aqui tem sangue de guerreiro!
Que transcende e perpassa o absoluto

As noites e os dias de exclusão
E tudo aquilo que para nós é retirado
E é por isso, e é por isso!!!

Que nossa poesia
Não nasceu pa…

Por que 60 mil professores estão em greve no Estado de São Paulo?

A greve dos professores no Estado de São Paulo completou dois meses nesta última quinta-feira (14) e diversas manifestações proliferaram por todas as regiões do Estado. No entanto, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) persiste em ignorar as reivindicações exigidas pela categoria.
Grandes marchas foram realizadas pela categoria ocupando as principais ruas e avenidas da capital paulista mobilizando em torno de 60mil pessoas. Ainda deste modo, em rodadas de negociação o governador mantém sua postura intransigente, contradizendo as reivindicações, expondo que elas são equivocadas e que as paralisações têm sido convocadas por professores “temporários” (categoria “O”) que não aceitam a “duzentena”, que é uma exigência de uma lei de 2009 que rege a contratação de temporários em todo Estado, e por isso atender as reivindicações seria burlar a lei e prejudicar os concursados. Para a APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) que está à frente da mobilização, o …

Mães de Maio: É preciso rasgar o silêncio. "Nossos mortos têm voz"

Nesta última terça-feira (12) no bairro Gonzaga, área nobre da cidade de Santos, foi realizado pelo Movimento Mães de Maio um ato simbólico em memória dos 493 jovens assassinados em 2006 no Estado de São Paulo durante conflito entre grupos paramilitares e o Primeiro Comando da Capital (PCC).

Vídeo com a cobertura do ato:

Os “crimes de maio” (como se tornaram conhecidos) até hoje não foram solucionados. Muitos casos foram arquivados e outros ainda estão em processo. Na Baixada Santista, infelizmente, tem se tornado comum a série de assassinatos que vêm ocorrendo. Com isso, carros pretos, vermelhos, motos com pessoas encapuzadas já tiraram a vida de centenas de jovens. 




De acordo com Débora Maria, integrante do Movimento Mães de Maio, “todos esses assassinatos têm endereço, as balas só atingem pobres e negros, porém o Estado se recusa a reconhecer, enquanto isso a periferia sangra e nós mães choramos por nossos filhos, mas também lutamos, pra romper com esse silêncio, para que nossos mort…

A luta dos professores por uma escola pública, gratuita e de qualidade

Nesta terça-feira (11) os professores organizados da rede estadual de São Paulo (em greve a cerca de 60 dias) estiveram presentes para debater com o Deputado Estadual Carlos Giannazi (Psol) sobre os rumos da luta. O debate ocorreu no Sindicato dos Bancários de Santos e foi organizado pela Intersindical.
De acordo com os professores a situação é lamentável, pois o governador Geraldo Alckmin (PSDB) ignora a greve e pretende vencer a mobilização pelo cansaço. Em pronunciamento recente o governador defendeu o corte nos salários dos professores, (neste mês de maio os docentes receberam a quantia inferior a um salário mínimo). Revoltados os professores colocaram que Alckmin ignora a própria Constituição que assegura o direito à greve.
Para o Deputado Giannazi essa é a política do governador, contando com a blindagem da mídia que não divulga a real situação, ele pretende tornar sua mentira numa verdade, por isso, somente os professores organizados podem fazer esse enfrentamento, levando em co…

Baixada Santista: Audiência Pública sobre a Cadeia Velha no Teatro Guarany e a "arte da enrolação"

Nesta quarta-feira (06) na cidade de Santos ocorreu a segunda Audiência Pública para tratar do futuro da Cadeia Velha, espaço de produção e de fomentação de cultura de produtores culturais e de artistas da região. O espaço está fechado há dois anos para reforma, e segundo rumores (não oficiais) a Secretaria do Estado de São Paulo (responsável pelo equipamento) teria como propostaa municipalização do espaço, além da ideia de transformá-lo num museu.

Nesta audiência estiveram presentes o Secretário do Estado de São Paulo Marcelo Mattos Araújo, o Secretário de Cultura de Santos, Fábio Alexandre Nunes, o vereador Marcelo Del Bosco (PPS), além de artistas, produtores de diversos segmentos culturais e cidadãos preocupados com o destino incerto da cadeia. Estes, até tentaram retirar alguma resposta concreta das autoridades presentes. Entretanto, como é de praxe em toda audiência pública, as autoridades muito perspicazes exerceram a "arte da enrolação", isto é, falaram, falaram e não…

Professores realizam protesto em frente à Secretaria Municipal de Educação de Santos

O Sindicato dos Servidores Públicos de Santos juntamente com professores que estão em greve (há quase dois meses) realizaram nesta quarta-feira (06) um manifesto na frente da Secretária Municipal de Educação de Santos em repúdio ao processo de terceirização do serviço público na cidade, principalmente nas escolas onde as condições de trabalho atingem níveis absurdos de precarização.

A secretaria temendo que os manifestantes resolvessem adentrar o prédio acionou a Guarda Municipal que compareceu e montou um cerco na entrada do prédio. No entanto, os manifestantes queriam apenas protocolar um documento de solicitação de uma reunião para discutir suas reivindicações. Após algum diálogo, protocolaram o documento.
A manifestação não era apenas composta de professores, o sindicato propôs um ato unificado com todos os servidores, abarcando: secretários, inspetores, cozinheiras, em geral, todos os servidores públicos que estão sendo prejudicados com o projeto de implantação (terceirização) das…