Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2010
DOC. Nos olhos da esperança "Quem decide um caso sem ouvir a outra parte não pode ser considerado justo, ainda que decida com justiça." (Sêneca)
Jânio é um rapaz de vinte anos que foi preso na orla da praia da Cidade de Praia Grande confundido de fazer parte de um grupo de jovens que promoveram um arrastão. Mesmo sem provas ficou preso durante 11 meses. Leide e Francisco a mãe e o pai de Jânio precisaram lutar para provar a inocência do filho, enfrentando a principal dificuldade que esbarra num problema social ainda não resolvido no Brasil.
"Ser pobre é ser culpado até que se prove ao contrário?"
A criminalização da pobreza no Brasil é um processo histórico que se enraizou ideologicamente na cultura da sociedade brasileira desde o Brasil colônia.
Ser pobre neste país além de ter de enfrentar tantas dificuldades para se viver com um mínimo de dignidade. Ainda tem que carregar o estigma de criminoso, de vagabundo... De ser representado de forma temerosa e até odiada pela…

Gramsci:Odeio os indiferentes

Postado originalmente em Pragmatismo político
11 de fevereiro de 1917 Odeio os indiferentes. Como Friederich Hebbel acredito que "viver significa tomar partido". Não podem existir os apenas homens, estranhos à cidade. Quem verdadeiramente vive não pode deixar de ser cidadão, e partidário. Indiferença é abulia, parasitismo, covardia, não é vida. Por isso odeio os indiferentes.
A indiferença é o peso morto da história. É a bala de chumbo para o inovador, é a matéria inerte em que se afogam freqüentemente os entusiasmos mais esplendorosos, é o fosso que circunda a velha cidade e a defende melhor do que as mais sólidas muralhas, melhor do que o peito dos seus guerreiros, porque engole nos seus sorvedouros de lama os assaltantes, os dizima e desencoraja e às vezes, os leva a desistir de gesta heróica.
A indiferença atua poderosamente na história. Atua passivamente, mas atua. É a fatalidade; e aquilo com que não se pode contar; é aquilo qu…

Por que o trabalho escravo não tem fim?

Postado originalmente em carosamigos

Agronegócio escraviza milhares de trabalhadores no campo
As culturas da cana, soja e algodão, a pecuária, as carvoarias e o desmatamento da Floresta Amazônica são as atividades preferidas dos exploradores do trabalho escravo.
Por Lúcia Rodrigues
A impressão que se tem é a de que se está entrando no túnel do tempo e retornando alguns séculos no calendário gregoriano.
Aos olhos dos mais desavisados, pode parecer estranho e até mesmo irreal que ainda hoje existam pessoas sendo submetidas à escravidão em nosso país. Mas infelizmente essa gravíssima violação aos direitos humanos é uma dura realidade no Brasil do século 21. Milhares de pessoas ainda são submetidas a trabalho forçado e a condições degradantes no campo e na cidade. Relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT), de 2005, estimava em 25 mil o número de trabalhadores mantidos em condições análogas a de escravos no país. Destes, 80% atuavam na agricultura e 17%, na pecuária.
Os números do…

A tática do medo

Quem não leu a última edição da revista IstoÉ, deveria ler. A reportagem que a revista fez sobre a tática do medo com que a oposição serro-tucano-pefelê-midiática tenta fazer pender para seu lado a balança eleitoral é explicada de uma forma ágil e inteligente, na capa da revista.

A imagem acima omite os conceitos simples escritos nos fantasminhas que flanam ao redor dos rostos tétricos de José Serra e de Índio da Costa. Farc, PT, sem-terras… Enfim, todos esses conceitos absolutamente incompreensíveis e inverossímeis com que a direita tenta, mais uma vez, assustar os brasileiros diante de uma candidatura do PT.

Isso depois de um governo petista de oito anos em que ficou provado que o PT não tocaria fogo no país, não o transformaria em Cuba, não confiscaria poupanças nem obrigaria as famílias de classe média a dividirem suas casas com favelados, etc.

Para bem lembrar de quanto já se tentou nesse sentido, a revista compôs um gráfico (vide a primeira imagem do post) mostrando os fantasmas pe…

Vinte anos de Estatuto da criança e do adolescente, o que mudou?

O Estatuto da criança e do adolescente surgiu numa época pós-ditadura, era preciso dar uma resposta a população e principalmente a comunidade internacional que cobrava do Brasil uma atitude imediata em relação a questão dos meninos de rua. Só para relembrar, os militares trataram essa questão de meninos de rua, (colocando todos dentro de um ônibus da Breda e levando até um penhasco e jogando lá de cima). Todo esse horror chamou atenção logicamente. Culminando com a redemocratização do Brasil surgiu o ECA.
Este ano completou vinte anos de criação do Estatuto, na mídia em geral só se fala nisso, elogios rasgados, célebres homenagens aos paladinos pensadores de tal obra. Mas e aí, alguma coisa mudou? Desculpem não quero ser tão ácido, alguns vão dizer que até então as crianças e os adolescentes não eram inclusos no processo de direitos.
E daí? Mudou alguma coisa?
O ECA é uma lei assistencialista onde a criança e o adolescente não pensa e não fala, eles obede…

Um blog se alimenta de quê?

Tem coisas que não dá para entender, por exemplo: esse negócio de ficar monitorando comentário. Sei lá, acho isso bobagem. Afinal, para que criar um blog, um site .... E ficar selecionando comentário? Horas, independente de opiniões contrárias, aí que está o barato. Sem conflito nada evolui meu! É a tese, a antítese e a síntese que trazem novos olhares de mundo. Vamos acabar com essa ditadura. Liberem os comentários!
'

Golpe nas Honduras: para quem ainda tinha dúvida

Postado originalmente em cidadã do mundo De Miro EUA orquestraram golpe de Honduras
Aos poucos, a verdadeira história do golpe civil-militar em Honduras vai surgindo e enterrando, de vez, qualquer ilusão no “democrata” Barack Obama. Aos poucos, fica nítido que o presidente é refém do “complexo industrial-militar ianque” e representa os interesses do imperialismo, que não morreu. O golpe de junho passado, a instalação de sete bases militares na Colômbia, as provocações constantes ao Irã e a Coréia do Norte e até as recentes ameaças de retaliações ao Brasil, entre outras agressões, confirmam que não se deve nutrir ilusão com o “império do mal”. O renomado jornalista Jean-Guy Allard acaba que provar que uma agente contratada pela Usaid dirigiu o golpe em Honduras. “Jacqueline Foglia Sandoval, a hondurenha citada como ‘a pessoa encarregada de coordenar e operar o golpe de estado’ pelo ex-ministro Roland Valenzuela, pouco antes dele ser assassinado, não só é egressa da Universidade de West Poi…