Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2010

Que o Romantismo e o Lirismo da vida permaneçam vivos mais uma vez!

Reproduzo aqui um texto sensacional da blogueiraVeronique d'Angoulême

Que o Romantismo e o Lirismo da vida permaneçam vivos mais uma vez, que a Sensibilidade dos Sobreviventes por mais um ano resista ao chamado da endurecida, empobrecida e acinzentada vida dos homens comuns, - porque é preciso Arte para Viver.
Que amadureçamos mais, e livres das grades da homogeneidade, porque Diversidade não é apenas palavra bonita pra livros de artigos sociais, é a palavra de ordem para a realização da Vida Plena e de fato.
Que nossos Sonhos adormecidos se despertem do sono E aqueles despertos permaneçam vivos e fortes dentro de nós A emitir-nos, diariamente, o irrecusável convite à sua realização. Construção!
Afastemos o medo com nossas próprias mãos. Bem como o egoísmo que nos isola e afasta da vida pulsante, do contato real, porque não vale a pena a aglutinação do sangue, placas nas artérias da alma.
Mas, sim, a Imensidão da Vida nos Gestos, na Delicadeza, na Arte e na Beleza, na Cultura dos Povos, nas Relações…

Saudade. Substantivo abstrato

Saudade É dor que corrói Quando quem desejamos está distante Saudade É a medida pela qual Sentimos falta de quem não temos Saudade É desejo incontrolável De querer e querer e não ter Saudade É insuportável vazio De reconhecer, nada poder fazer Saudade É medo De quem esperamos (esperançosos) Nos abandonar Saudade É solidão penitente De existir em fragilidade Saudade É inferno interno, queima Em noites longas de desespero Saudade É sentimento intransigente Substantivo abstrato ... Em verdade ... Pura vaidade
(ausência do amor)
E fica pra machucar

Eu quero absorver todo o caos do mundo

Eu quero absorver todo o caos do mundo Eu quero dançar todas as noites com a pomba gira Eu quero conjugar o verbo na primeira pessoa Eu quero viajar ao infinito num único instante Eu quero ensinar sexo oral aos puritanos Eu quero gozar sem moralidades Eu quero uma conexão Banda larga Eu quero uma chuva de alucinógenos Eu quero viajar a Marte num rabo de foguete Eu quero o beijo da mulher aranha Eu quero a sabedoria de Abraão Eu quero o orgulho e o ódio de Hades Eu quero a insanidade de Caligula Eu quero ser o primeiro a pisar no firmamento E dizer: bye bye
Eu quero tudo! Tudo!!!
Céu Inferno Purgatório Temporal Verão Inverno Primavera Dia Noite Eclipse Áries Libra Buda Shiva Rosa, flor e espinhos
Eu quero vida Sem medo e sem ismos

2011. Quero antes morrer de erros

Quero antes morrer de erros De críticas De cacos de amor Que morrer De saudade e angustia pelo que não vivi Não sei se minha busca é puro desejo Vaidade Aflição Curiosidade Ou fogo de palha O que sei É que meu coração arde Queima em brasas Sem moral e sem arrependimentos Então, desculpe Mas Vou deixar este temporal me arrasar E vou te arrasar junto!

É preciso ser resistência!

Postado originalmente em Rádio da Juventude
Após a queda do muro de Berlim em1989, a desintegração da União Soviética e toda a farsa que foi o socialismo Russo, bem vindos a pós-modernidade, reconfiguração global e uma nova ordem mundial ditando cultura, política e economia… Sem contraponto. (isso é o que querem nos empurrar)
Ok, o muro e o totalitarismo tinham que cair, mas o problema é que tudo convergiu a uma linha de pensamento pragmática, sem questionamentos, como se a realidade fosse estática e a própria história não se movimentasse através de ações.
Hoje, qualquer discordância com a ordem vigente é criminalizada, só aceita quando discutida por um prisma sustentável de um bem estar construído paralelo ao enfrentamento do Estado Capitalista.
Resultado: nossa época é de desconfiança, descrença, falta de esperança… Será que vivemos o limite de uma civilização? Sem sonhos, sem utopias, sem direção, sem identidade…
O Padre operário Agostinho Preto, ex-militante da JOC (Juventude Operária …

O fato do WikiLeaks ser wik

Postado originalmente em Centro de Estudos de Mídia Alternativa
Por: Luana Bonone: "Vingaremos Assange e seremos milhões"
Os documentos revelados pelo site WikiLeaks alarmaram os chefes de Estado das nações mais poderosas e a solução óbvia foi a melhor que o imperialismo consegue desempenhar: a criminalização daquele identificado como o líder ou o responsável público pelo transtorno às relações diplomáticas.
Não conseguiram prender Julian Assange pelo que realmente incomodou, que foi a publicação de informações sigilosas, visto que este tem o direito de não revelar as fontes da informação veiculada. Arranjaram, então, outro motivo. E estão aliviados. “É uma boa notícia”, comemora o secretário de Defesa dos EUA, Roberts Gates.
Mas este não é o fim desta história, é apenas o começo de uma disputa que ninguém havia ousado pautar às nações imperialistas: a guerra da informação. “A primeira guerra da informação começou. Envie por Twitter e poste isso em qualquer site”, proclamam os h…

Ato contra a criminalização da pobreza

A criminalização da pobreza no Brasil é um processo histórico que se enraizou ideologicamente na cultura da sociedade brasileira desde o Brasil colônia. Ser pobre neste país além de ter de enfrentar tantas dificuldades para se viver com um mínimo de dignidade. Ainda tem que carregar o estigma de criminoso, de vagabundo… De ser representado de forma temerosa e até odiada pela elite brasileira. Neste sábado dia 11/12 participe deste ato contra a criminalização da pobreza. Caminhada em defesa da vida, contra o extermínio de jovens, pela federalização dos crimes de maio de 2006, contra criminalização do movimento sindical, fim da violência contra mulheres, abaixo a homofobia e moradia digna! Local: Praça das Bandeiras – Gonzaga – Santos às 09:30hs Término – BNH – Santos

Pedra quebra tesoura

Postado originalmente em Portal Vermelho

O Rio que não interessa a mídia. Onde o real era real e não espetáculo.

Na semana passada estive no Rio de Janeiro participando daExpoBrasil, oportunidade que recebi da JOC (juventude operária católica) de intercambiar experiências com outras organizações e movimentos sociais que participaram da Expo apresentando seus trabalhos, projetos ou realizando discussões sobre o desenvolvimento local de comunidades em que estão inseridas. No caso, eu fui até lá como militante de Comunicação social, representando junto com um companheiro a Rádio da Juventude, qual sou integrante e que é uma iniciativa da JOC. Enfim, foi uma grande experiência e tenho muito a contar e a ponderar a respeito. Mas quero me limitar aqui neste texto somente a uma coisa que foi uma das minhas curiosidades ao chegar à cidade do Rio de Janeiro (obs: nunca tinha ido ao Rio) o caos que estava ocorrendo e que o país inteiro acompanhou em tempo real pela TV, onde o real era real e não puro espetáculo?
Ao chegar na cidade do Rio, no bairro Estácio, região não periférica, no caminho do Centro de …

As cáries que apodrecem meus dentes.

As cáries que apodrecem meus dentes Me fazem companhia num mal hálito poético Milhares de bactérias invisíveis Brotam em minha boca Numa explosão vital
Descobri O símbolo da vida Não é verde A cor é simplesmente Amarela, incomoda e fede!

Jornalismo canalha

Não há nada de novo

Ontem eu sai e fui ver o mar Não vi nada além de sujeira e água parada O que há com o mar? O que fizeram com ele?
Sentado sobre as pedras Tentei entender Coisas sobre o mar... Mas pouco descobri
As ondas vem e vão Terminando sempre em areias contaminadas Será nossa mesquinharia, nosso espólio?
Olhos nos olhos Contraímos dengue Não nos vemos E nada faz sentido
Agora é só essa febre Dor no corpo E essa ânsia de vomito, que não passa...

A guerra será televisionada

A invasão do complexo do alemão se transformou num verdadeiro espetáculo midiático. E todos querem ver sangue...

Pior é que não tinha outro jeito senão invadir. Só penso que a arquibancada podia ser menos empolgada, no sentido de entender que retomar as áreas tomadas pelo crime organizado, não significa mudanças sólidas e muito menos é um reality show. Mas enfim, hoje o pé na porta na casa dos moradores está liberado, depois de anos de descaso, de inércia do Estado e de falta de políticas púbicas de segurança e de outras também... O governo carioca se coloca na posição de exorcizar todo o mal com os heróis do Bope.

E, bala perdida tem justificativa...

Fico pensando numa coisa que a mídia está fazendo e insistido em declamar em alto e bom som, que: "graças a população está invasão está sendo possível, o disque denúncia nunca recebeu tantas ligações, e estas informações são essenciais", Ontem mesmo no jornal da noite de uma emissora que nem sei qual era (estava na casa de um amig…

A violência no Rio de Janeiro. Vigiar e punir!

" A miséria do povo e a corrupção dos costumes multiplicaram os crimes e os culpados" Michel Foucault
A violência no Rio de Janeiro infelizmente não é nenhuma novidade. Desde o final da década de setenta quando o estopim da violência foi lançado, já virou documentário, longa metragem, tese de doutorado e uma infinidade de outras coisas. O ponto alvo de discussão, é sempre a ineficiência do Estado em promover o bem estar social através de políticas públicas de segurança que garantam o desmantelamento do crime organizado, traduzindo - combater com força e rigor - ocupar territórios e a novidade, instalar Unidades da Polícia Pacificadora nestes locais, procurando trabalhar em parceria com a população, e por final combater as lideranças nos presídios. No entanto, isso é combater o resultado final e não a raiz do problema, numa situação de caos como está ocorrendo, evidente que o Estado precisa demonstrar força, e as medidas precisam ser repressivas, afinal é exatamente demonstração…

Vampiresco e amoral. Liberto!

Meu ethos se cansou de trepar Coma a dama da moralidade
Agora, minha mente pervertida Navega por mundos não mensuráveis de desejo
Liberto Caminho pela noite Em busca de prazer Vampiresco e amoral

Presidente Lula recebe blogueiros para uma entrevista histórica

Lula recebe Blogueiros Progressistas
A manhã desta quarta-feira (24) entrou para a história
da democratização da comunicação no Brasil. Pela primeira vez um presidente da república concedeu uma entrevista a comunicadores que não sejam, especificamente, funcionários da clássica imprensa do país monopolizada por algumas poucas famílias burguesas.

Lula recebe Blogueiros Progressistas
A manhã desta quarta-feira (24) entrou para a história
da democratização da comunicação no Brasil. Pela primeira vez um presidente da república concedeu uma entrevista a comunicadores que não sejam, especificamente, funcionários da clássica imprensa do país monopolizada por algumas poucas famílias burguesas.

A 37 dias do fim de seu mandato e levantando, novamente, a bandeira da construção de um sistema de comunicação democrático e capaz de dar espaço a todos os brasileiros expressarem sua opinião, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, numa atitude inédita recebeu, no Palácio do Planalto, em Brasília, dez represe…

Brigada médico cubana no Haití combate o cólera em todas as frentes.

Postado originalmente em Solidários
Hinche deve ser uma das poucas cidades do mundo, com uma pista de voo na sua rua principal, com função alternada de pastagens para rebanhos de cabras. Tão peculiar assim é a capital da Divisão Central do Haiti, onde a epidemia de cólera se tornou a principal preocupação dos moradores e da Brigada Médica Cubana (BMC), que serve lá em solidariedade.
Fora do hospital da cidade está localizada a Central de Tratamento de Cólera (CTC), onde trabalham em conjunto, além do pessoal cubano e os formados na ELAM, nove médicos norte-americanos de uma Organização Não Governamental. Estes têm as melhores impressões do trabalho dedicado da BMC em Hinche.
Enquanto discutem como organizar os trabalhos, os reforços, a disposição e entrega das equipes médicas e de enfermagem, percebemos a juventude do médico guantanamenho, Roberto Pardo. A segurança nos argumentos que já vimos em outros congêneres decorrem da experiência única de ter enfrentado os efeitos de um desastre …

Intervozes - Levante sua voz

Este vídeo foi produzido pelo Intervozes Coletivo Brasil de Comunicação Social, como contribuição à 1ª Conferência Nacional de Comunicação - Confecom. Dirigido por Pedro Ekman, o vídeo foi produzido aos moldes do curta-metragem "Ilha das Flores", do documentarista Jorge Furtado. O vídeo mostra a concentração dos meios de comunicação em nosso país e sua finalidades.
Intervozes - Levante sua voz from Pedro Ekman on Vimeo.

Salve o dia da consciência negra!

O negro foi libertado e não ouviu sequer
Um pedido de desculpas
Reparação pelos anos de trabalho escravo
humilhação e sequestro?
Muito menos!

Sangue, suor e chibata ergueram este país
De sol a sol ou debaixo de chuva
Na cana de açucar, nos cafezais, na cozinha...
Servindo e penteando a sinhazinha

Mas hoje, ao ler um livro de história
O que lemos sobre a escravidão?
"Princesa Isabel a boazinha"
Onde estão os 100 anos de Palmares?
Zumbi, Dandara, Antonio Cândido?
Entre tantos outros que lutaram

Consciência negra não é revanche
É reflexão e conexão com a realidade
Na busca pela construção e valorização
Da identidade de todo brasileiro

Não há nação
sem isso, e

"não existe igualdade sem o respeito pelas diferenças"
(Marcus Vinicius)

Jesus Maldito

Jesus quando caminhou sobre a terra Era um tremendo punk Revolucionário até o osso Desde pequeno quando descobriu o contra-baixo Anarquizou geral pra botar pilha no diabo Sempre a frente de seu tempo Junto com seu primo "João Batista Podre" Com quinze anos foi preso por porte de maconha Aos dezesseis convidou seis amigos E formou uma banda de punk rock Depois, convidou outros seis para ajudarem na produção Fizeram shows em botecos em troca de cerveja E após quase três anos de correria Gravaram um disco independente E caíram na estrada pra divulgar as canções A crítica torceu o nariz Dizendo que o álbum era barulhento demais Mas nas rádios, ouvintes não paravam de pedir "Good Save the Madalena" Single do álbum inspirada no grande amor de Jesus "Maria Madelena" mulher de vanguarda Vieram o segundo, terceiro, quarto e quinto álbum Sempre independente e bem sucedido Consolidando a dupla de compositores Jesus e Judas Parceirão e guitarrista solo Todo esse sucesso Irritava as gravadoras…

Minha linda cidade Vicentina

Nesta linda cidade Vicentina A população nada num mar Cheio de bosta (dissolvida) e urina
Olhem para essas areias da praia Infectadas de bichos geográficos Cheios de estupidez e hipocrisia
Palácios, palacetes e palafitas Meros reflexos arquitetônicos De miséria e riqueza
São Vicente, a cidade do pecado A maquiagem que te passaram É como um parasita que suga até as tripas
Intenso ritual vampiresco De alegrias insensatas E de verdades embriagadas
Teu veneno entorpece e mata Acuado, solitário e sem abrigo O que tenho a perder? São Vicente
Nada? Então,
vou urinar em tuas esquinas Transar em tuas avenidas E gozar com tuas mentiras
Quem sabe assim... O meu cinismo barato de boteco Incomode os acomodados
Porque o teu verão, São Vicente Dá câncer de pele.

Deus é um tremendo dinossauro!

Deus é um porra louca Adora boteco e cerveja barata Saímos juntos na semana passada E tomamos um porre Rodamos a cidade toda em busca de diversão Bebemos, discutimos e divagamos sobre a vida Juntos, numa esquina Cantamos, tocamos violão e recitamos poemas de Augusto dos Anjos No fim da noite, de bolsos vazios e embriagados Quase vomitamos o fígado e as tripas Foi quando Deus me disse meio tonto Que não gostava de excessos Mas, tem um fraco pela vida boêmia Melhor forma de extravasar a tensão Imaginem? Bilhões de anos no mesmo trabalho Quem não pira? Em desabafo ainda me disse Que andava meio solitário Depois que Jesus foi viver sua vida Com Maria Madalena em outra galáxia E, pode até ser vaidade divina Mas, está afim de curtir uma fossa São muitas cobranças Qualquer unha quebrada Lá vem choradeira! As vezes chega a agradecer a si mesmo Pela existência de tantos ateus e agnósticos "Dão menos trabalho" Pois é, "Deus é um tremendo dinossauro" De sua calda de bilhões de anos Lança fogo sobre a pós-m…

Morrer em holocausto

Quero ser um frango de macumba Esquecido na encruzilhada E assim... Morrer
E apodrecer Ao lado de uma garrafa de pinga Feito isso Entrego meu corpo aos urubus
Que me estralhacem Que me partam em pedaços E que se matem
Numa guerra violenta Por partes decompostas De carniça
Pense?
Neste asfalto quente O dia insiste em nascer E mais uma vez, um dia de bosta!
Onde formiguinhas operárias Se apressam Se benzem Se fodem!
E nunca Nunca!!! Se questionam
Eu não! Quero ser frango de macumba Morrer em holocausto Ao lado de uma garrafa de pinga
Se possível antes do amanhecer Pois... Sou criatura boêmia da noite

Liberdade de imprensa ou de empresa?

A liberdade de imprensa está morta! O que existe é a liberdade de empresa. Logo, estamos todos mortos!
Quem tem acompanhado o noticiário nos últimos tempos pôde perceber como se tem discutido sobre liberdade de imprensa no Brasil. As eleições por exemplo: tem impulsionada está discussão, o governo a todo momento tem sido acusado de atos de censura. Quem não se lembra do caso dos humoristas que não podiam fazer uma piadinha com os candidatos. Neste caso, a censura caiu por terra. Mas vale lembrar, que alguns jornalistas que ousaram perguntar, escrever também caíram, Heródoto Barbeiro da TV Cultura foi para a geladeira depois de no programa Roda Viva insistir em perguntar ao candidato José Serra sobre os pedágios. Recentemente Maria Rita Kelh da Folha de São Paulo foi demitida por escrever um texto em que dizia que o povo assistido pelo bolsa familia não era tão burro quanto a elite pensava. Neste caso, era óbvio! Afinal, a Folha de São Paulo havia declarada publicamente apoiar o Tucano …

Morrer não perdoa

Eu morro um pouco a cada dia Cada hora, cada momento Em meu íntimo amargo e solitário
Morrer São lágrimas vazias Estrangulam pouco a pouco
Ninguém explica Ninguém entende Força que vença Fé que aguente
Morrer... É lâmina Sem avisar, rasga Inevitavelmente cruel Sempre cruel
Morrer É infinita dor Dilacera e não sangra Desgraça pra quem fica Ou para quem muito ou pouco sonhou E num dia qualquer Partiu
Morrer é partir Sem adeus, sem permissão Ritual triste, frio...  Mármore
Morrer são versos fúnebres De um poema sem rima
Sem cadência Sem poética Sem utopias
Morrer machuca E sem aviso prévio Termina

Reflexão e Ação discute o fenômeno Tiririca

Pior do que está não fica! Como previsto, um milhão trezentos e poucos votos, confirmando a política do pão e do circo. Seus projetos segundo ele: “só coisa boa!” Com isso o palhacinho mais querido do país desbancou o Ronald e se tornou o Deputado Federal mais votado do Brasil.
Leia mais sobre o fenômeno Tiririca em rádio da juventude

Nada de sangue, nada de mágoas

Escrevo sem sofrimentos Nada de sangue, nada de mágoas Escrevo para avacalhar Provocar e subverter Frase de ordem "Viva a transgressão e abaixo a vaidade!" Quero mais é gozar Longe dos sábios Que empinam os lábios Com quartetos de blábláblá Quero a poesia Vomitada pelos bêbados Marginais e amantes de boteco Gente de carne e osso Que mija, caga, peida e arrota E Quando tem vontade, se masturba! Quero a poesia Em estado bruto, sem maquiagem Por isso Escrevo sem sofrimentos Sem compromissos e sem piedade

Não beberei de teu vinho

Abutres, impotentes
Mercenários e estéreis
Vadios, vazios
De ideias e de coragem
Estupram o mundo num ritual filantrópico
Disfarçados de almas bondosas
Não passam de seres
Sórdidos e hipócritas
Cuspidores de caridade
Pregadores de merda
Quantos já queimaram?
E quantos estão queimando?
Em nome de teu Deus
Chamado
"Intolerância"
Não partilharei de teu pão
Não beberei de teu vinho
Não comungarei de tua fé

Nem serei moeda de troca
De teu calabouço celestial
Caiam por terra malditos! Caiam!
Com teus anjinhos
Com tuas mascaras
De humanistas gentis
Caiam por terra!
Caiam!

Queimem os vanguardistas

Evoco a loucura Que é a coisa mais sã Que conheço sobre a terra
E peço Embriagado de vinho e prece
Loucura!
Lance de seu cu De um bilhão de anos
Rajadas de fogo Para queimar até as últimas tripas Todo o vanguardismo demagogo de boutique Podre, reacionário e dissimulado
Pois, só assim O coito dos libertários e anarquistas Que amam Sganzerla e sexo oral Não será interrompido
Rezemos então a Baco Brindemos Rezemos então a Baco Brindemos
E os merdas que se fodam! Oh! Loucura.

Carta aos inconformados

O que é a poesia?
Uma criança que brinca num parque?
As folhas secas que caem no outono?
O céu azul e a grama verde?
Transeuntes que passam apressadamente?
Então, tudo é poesia!
E de tudo na vida podemos extraí-la?
Ou será que poesia É... Aquilo que o ser humano criou para se livrar do tédio Aquilo que o ser humano criou para dar tesão a vida Aquilo que o ser humano criou para enfrentar os dias infernais de labuta Ou seja, poesia É... Um produto de gente inconformada e cheia de paixões Fruto maldito da indignação, da aspiração e do egocentrismo Uma vã filosofia que insiste em dar significado a uma vida que não tem sentido ... Porque a realidade É dura e chata pra caralho Então, poesia... É tese e antítese sem síntese Tenta explicar para não se frustrar Provoca, mas não briga Excita, mas não goza Amigos poetas e amigas poetisas Não sejamos tolos A poesia é feita da mesma matéria-prima que criou Deus e a guerra E, Dentre essas três criações Poesia É a mentira mais gostosa de viver

A mitologia grega que não contam na escola

Narciso era um calhorda burguês
Só pensava em si mesmo
Afogou-se em seu orgulho
Sem dar um grito

As ninfas que choraram
Na verdade, durante dias festejaram
A morte de um idiota
Que maltratava as mulheres com sua indiferença

E, foi neste tempo que ocorreu
A primeira revolução feminina
Com o grito estridente das ninfas
Morra Narciso! Morra!

E sobre o sepulcro das águas
Elas mijaram, mestruaram e gozaram
Num ritual de libertação e celebração
Foi quando neste local, nasceu uma flor

Que deram o nome de Maria da Penha
Depois foi decretado pelos Deuses
Que as mulheres eram dádivas
E aí daquele que as ferir